Os trastes energúmenos que eu já gostei – Ilha de Java

Os trastes energúmenos que eu já gostei

Por eu ser gay que gosta só de heterossexuais eu acabo me submetendo à situações vexatórias que as outras pessoas normalmente desconhecem. Normalmente algumas coisas complicadas que a gente insiste em ter na vida, quando conseguimos acaba sendo uma desgraça ainda maior, tem muita coisa que a gente luta pra ter e que é melhor nem conseguir, nesses casos nós falamos: — “Eu era feliz e não sabia!”
Eu nunca tive alguém, nunca me relacionei, nunca nem se quer eu dei selinho em algum ser da via láctea maldita, pois bem, seguindo a linha de pensamento acima, pode ser que eu tenha tido a sorte de ter evitado um monte de cara filho da puta em minha vida, vamos imaginar que eu estivesse vivendo em um universo paralelo onde todas a possibilidades absurdas pudessem ocorrer lá nenhuma frescuras:Lá Hitler poderia ter ganho a guerra, a teoria da relatividade se provaria falsa e eu teria alguém exatamente como eu gosto: hétero, meio homofóbico, um tanto mulerengo e que ao mesmo tempo gostasse muito de mim.

Nesse universo paralelo , o primeiro cara para quem eu me declarei, um albino que frequentava o colégio Mackenzie de Higienópolis , ao invés de ter levantado a mão para cima para eu calar a boca e não me declarar, simplesmente teria rido pra mim e me aceito. Depois eu descobriria que os pais dele eram carrascos nazistas que iriam planejar a minha tortura e posteriormente a minha morte. Eu ficaria aleijado numa cadeira de rodas.

Depois teria o pagodeiro loiro falido da Vila Mariana (Brasilio Machado) ele teria me aceito sem nenhum preconceito ao contrário do que aconteceu, eu entraria no carro com ele, como muito pagodeiro por aí, ele beberia muita cerveja e o carro bateria, ocasionando o um acidente que amputaria a minha perna.

Depois eu me declararia a um maconheiro doido da Sta Cruz perto da Loefgreen, ao invés dos amigos dele me lincharem como aconteceu sem ele saber, ele me aceitaria sem nenhum problema mas colocaria droga na minha mochila para eu me ferrar e eu acabaria preso.

Também tem o outro que eu gostei e queria na verdade a minha amiga, aquele que fingia pagar simpatia pra mim pra ver se comia minha amiga e que me disse que só me queria como amigo. Esse também me aceitaria, conseguiria comer minha amiga e no outro dia me mandaria pra escanteio ao mesmo tempo que anunciaria o casamento com a minha tal amiga. Felizmente esse aqui na vida real se transformou num misto de baleia inflável com frankenstein, que lixo!

Depois teria o cara lá do meu trabalho ,  metido a gostosão bombado querendo ser o DJ Alok , depois de um tempo eu descobri que essa praga é alcoólatra e sua família não fica para trás, ou seja, ele teria aceitado dar uns pega em mim mas ficaria batendo na minha porta de madrugada fedendo cachaça , fazendo escândalo e me pedindo dinheiro.

Pra finalizar teria o jogador de futebol lá da puta que pariu que todo mundo já conhece, ele largaria as duas mulheres dele, me aceitaria e me levaria lá pra morar com ele, depois de um tempo conheceria outra modelo vadiane, me largaria no meio da rua gelada sem nem saber falar a lingua local, eu viraria mendigo e morreria de fome.

Por isso as vezes chego a crer a males que vem para o bem, vai saber o que eu deixei de ter de desgraça na minha vida evitando naturalmente tantos trastes mau-caráter como eu evitei.
Se for pra ser pior, é melhor não ter nada.

 

 

 


http://www.javanunes.com/o-blog-sujo/os-trastes-energumenos-que-eu-ja-gostei/