Sexo no astral… – Ilha de Java

Sexo no astral…

Sexo no astral é um tema muito discutido por muito maluco e maluca por aí que dá até aula de como sair do corpo. A verdade é que saber dessas coisas ditas “espirituais” faz o cérebro  produzir mais endorfinas e então as pessoas ficam apaixonadas por esses assuntos, sendo eles verdade ou não.
Eu posso dizer que se viagem astral fosse verdade as cias áreas iriam a falencia, muito do que esse povo chama de viagem no astral na verdade se trata de sonho. Isso mesmo sonho daqueles que você tem numa noite de verão com a barriga cheia virada pra cima.

As pessoas conseguem dentro do sonho se lembrarem que estão sonhando e aí já julgam que aquela patifaria é a tal da viagem astral.
Eu já tivesse esses sonhos onde eu mesmo sei que estou sonhando, eles sempre se passam num local de meia luz, uma luz com cor de mijo. A sensação é a de um calorzinho gostoso daqueles das noites meio abafadas, e já que esses tipos de sonhos são considerados viagem astral, sim, eu posso dizer que já tive experiencias eróticas no astral:

Uma vez sonhei( fiz a “viagem astral”) que eu havia ido pra São Paulo a noite, de repente eu tomei consciência que aquilo era um sonho, então comecei a explorá-lo como se fosse um simulador daqueles de vídeo game, a primeira coisa que eu fiz foi tentar sentir como era pular , nadar e beber a água do rio mais poluído do país, pulei no rio Tietê e dei um mergulho gostoso, não quis nem saber se a agua tinha merda boiando, simplesmente eu quis pular, mergulhei e a água parecia mais vapor morno, foi bom.

Depois de sair do rio Tietê comecei a ver que haviam homens nordestinos alegres ao lado da rua, eu como homossexual reprimido que nunca deu pra ninguém por falta de mercado, comecei a lembrar que o sonho era meu e eu poderia fazer o que quiser, então me cheguei perto de um rapaz nordestino como este da foto , ele era simpático e com cara de safado, sem hesitar, tratei de fazer aquilo

que eu sempre tive vontade de fazer na vida real mas que a minha condição corporal nunca permitiu: atolei a mão no saco do cara com uma fome enorme de provar o sempre me foi proibido nessa vida amaldiçoada que eu tenho. Atolei a mão do saco do cara mesmo, não tive pena. O melhor é que nesse mundo de sonho astral, os caras não fazem cu doce, o cara continuou rindo e nem ligou.

Depois eu descobri que ficaria impune mesmo e parti para o sexo no astral, o cara nem ligava mesmo, comecei a fazer outros usos da órgão sexual dele, afinal o sonho era meu, então eu quis ir alem, se ninguém ligava de ser molestado por mim no tal mundo astral, fui aproveitar: cara homem que passava na rua, estivesse onde fosse, eu ia lá e atolava a mão no saco para ver a sensação, eles riam e não ligavam. O problema desses sexos no astral (sonho) é que eles são iguais ao Cine Privé da Band: na melhor hora eles acabam e o climax não é atingido. Sim, quanto mais eróticos são os sonhos ou como queiram, sexo astral, mais eles terminam de forma abrupta. Tudo é sempre interrompido e acaba não valendo porra nenhuma!

Resumindo, as tais viagens astrais são sentimentos que nós recalcamos ao decorrer do dia que afloram em forma de símbolos que nos lembram dos sentimentos que temos ocultado.

Antes de sair procurando como fazer sexo no astral por aí no Youtube e ouvir que tudo isso é coisa de reptiliano que quer dominar o mundo, veja o vídeo sobre uma mulher que diz ter feito com fantasmas:

 

 


http://www.javanunes.com/putagem/sexo-no-astral/