Turismo de índio – Ilha de Java

Turismo de índio

Quem não pode comer, se alcooliza; Quem não pode ser feliz, monta um blog, quem não pode transar, viaja!

Quero que todos conheçam as ruas por perto de minha casa, as ruas por onde eu passo, as cidades, os países e todos lugares do mundo por onde eu passar. Sabe como é: mulher não viaja com a gente por sempre estar com o seu marido que tem medo ser traído, homens não andam comigo pois acham que eu como homossexual irei lhe dar uma fama ruim entre os seus amigos, então já que eu vivo a andar sozinho, pelo menos eu quero que vocês fakes de internet me acompanhem e conheçam as quebradas por onde eu ando.

Cantando mal KLB na Alemanha

Um rapaz bonitinho passa com uma sacola de compras cheia de Activia, certamente ficou com medo deu atacá-lo ou precisava
ir rápido ao banheiro…

 

Procurando alienígenas na Alemanha

Eu tive várias experiências engraças quando estive pela primeira vez na Alemanha, entre elas foi eu imaginar que um país europeu seria um local frio,  nublado,  com pessoas andando com sobretudo igual no clipe
West End Girls do Pet Shop Boys, eu também achei que os ônibus seriam um luxo totalmente vazios e só pra mim, ledo engano! A primeira vez em que eu cheguei ao país germânico, tive a sensação de ter sido enganado e ter chegado a uma cidade do interior de São Paulo: arvores iguais de SP, calor miserável igual o do bairro do Brás, o ônibus que saiu do aeroporto e foi pra cidade lotou e eu fiquei desesperado com medo do meu ponto passar, a diferença é que o ônibus lotou de gente tudo loira, só eu era a cereja do bolo, a Fanta gelada do deserto, no fim fiquei desesperado, pedi em português mesmo para uma mulher que estava à minha frente sentar-se onde eu estava e assim eu conseguir chegar até a porta, o pior é que moça sorriu e fez que me entendeu. Amei a Alemanha: os homens não te encaram no olho feito assassinos e nem cospem no chão para provarem que são machos, ninguém lhe enche o saco na rua, as praças você pode ficar em paz mesmo portando celulares e computadores.  Uma vez eu tive um sonho que estava num local muito diferente do normal onde as pessoas ficavam se distraindo indo de uma igreja para um local com água, descobri que a catedral de Berlim era isso. Uma coisa que me chamou atenção é que o único perfume que os alemães e frances usavam tinha um cheiro de comprido A.S e açúcar,  todo mundo na Alemanha tem cheiro de AS com açúcar, sei lá o motivo. A água na Alemanha você bebi, bebi, bebi e não satisfaz, parece água fervida, é melhor comprar um refrigerante e misturar com água depois.
Uma cena muito engraçada que aconteceu comigo lá, foi quando uma moça me questionou se eu iria afinal falar em inglês ou alemão, eu queria falar em alemão, afinal inglês é língua de gente almofadinha e eleitora de PSDB mas as vezes me fugia a palavra que eu queria usar naquela língua, então eu apelava para o inglês de gente metidinha. Só uma coisa que eu não poderia deixar de comentar, a vendedora da loja Berlin Story da Unter den Linden que me atendeu era sósia da Karina Ramil da Portas dos Fundos.
Eu gostei do local pois as pessoas são pacatas, não existe luxo demasiado e a maioria é bem comportada.
Antes de ir pra Alemanha eu me informei em foruns brasileiros sobre como seria o local, todo mundo me tratou bem até o dia que eu mostrei na minha foto que eu era negro e gay, depois desse dia os foruns me ignoraram, então a dica é: se for usar forum de viagem brasileiro, monta um fake rico e eleitor do PSDB e fale mal o Lula para ganhar alguns amigos!

 

O sol me perseguindo em Ubatuba

Em Ubatuba nós temos praias muito bonitas e meio selvagens, tudo bem que alguns condomínios se apoderam de certa parte da praia, um exemplo é o condomínio do Lásaro, mas tudo bem…
A cidade tem um calor de matar, o seu sistema de ônibus público quando eu conheci, era controlado por uma mulher de mal humor que tinha jeito de lésbica, para se ter uma ideia uma vez eu perguntei a ela quais ônibus passava em uma determinada praia e ela me disse com um olhar de jagunço: aqui ninguém conhece praia não! Ora bolas! Falar em Ubatuba que ninguém conhece praia é tipo falar que em São Paulo ninguém conhece carro. Claro, aquela mulher controlava todos os ônibus que entravam e saiam da cidade, vai ver que era por isso que estava sempre de mal humor.
Destaque para o centro de Ubatuba, lá tem um banco Itaú onde você pode entrar para pegar um pouquinho de ar condicionado e se livrar do mormaço, alem de contar com uma praia onde os caiçaras e assaltantes dormem. O local tem clima de cidadezinha simpática do interior. Quem quer ver natureza, calor e fingir que é de classe média alta no meio dos pobres, não tem melhor lugar. Tirando a lésbica controladora dos ônibus, a cidade é interessante. Ubatuba é calor, é soadeiro total, parece que você acaba de adentrar a boca de um cachorro mas tem locais muito bonitos e selvagens.

 

Eu sou a didifodinha

Na porta de casa sozinho no fim de ano – Itanhaem

Dirigindo em Itanhaem

Em Itanhaem eu sempre gosto de fazer caminhada da minha casa(Praia do sonho) até o Cibratel andando pela beira do mar nas praias, é mais seguro e fácil do que pegar as várias ruas de terra e mato que tem entre as casinhas que temos. Nas viradas de ano eu costumo sumir sozinho andando até Cibratel pra ver os outros fazendo macumba na praia enquanto alguns casais adolescentes ficam fazendo ensaios sexuais com suas namoradinhas dentro das águas turvas e quentes. Em Itanhaem temos quiosques até praticamente o fim do horizonte, alguns estão vazios e você pode usar para sentar, beber ou ser abordado por alguma criatura sobrenatural, outros são cheios de gente, bebidas e festança, uns tocam funk, outros, música eletrônica mas o que mais lotam são os que tocam funk. Os heterossexuais ficam farreando de todas as maneiras nas praias de Itanhaem, eles fazem sexo no morro da caixa de água a noite e na praia também, e eu fico feito um alienígena andando perto deles. Itanhaem é uma cidade simpática que ultimamente anda sofrendo uma invasão de adolescentes malandrinhos de São Paulo que adoram tocar o terror.
Na virada de ano, todo mundo vem para Itanhaem beber, comemorar e zoar pelas ruas, é um clima diferente, muitos caras da classe média descem para cá e levam aquela vida tipo American Pie, dá uma inveja danada, mas como eu sou viado, fico a chupar o dedo.
Umas 4:30 da manhã os tratores começam a invadir as praias para limpar as macumbarias e garrafas que deixaram lá, lembra o filme A Guerra dos Mundos: luzes de faróis enormes vindo em várias direções surgem do nada para cima de você.
Agora podemos ostentar que em Itanhaem agora tem o Supermercado Extra, eu falo isso pois essa região do litoral antes só existia o famoso Supermercado da Avó.

 

Sem graça no Guarujá

Se você for ao Guarujá ali perto da igreja universal, saiba que essa cidade que já foi sinônimo de ostentação, se divide em várias dimensões sociais: perto da Universal temos milhares de pessoas humildes andando de bicicleta com várias crianças na garupa arriscando a vida e andando na contra mão. Alguns locais estão povoados de bandidos com cara feia que intimida até a polícia. Conheci um lugar lá chamado Perequê que ao ser adentrado me lembrava o bairro do Capão Redondo em São Paulo, só faltava ter uma M Boi Mirim lá(avenida preferida dos manos cantores de rap).
O Guarujá no Morro do Maluf temos vários adolescentes bonitos de classe média, que somem ali para fumarem maconha na frente de todo mundo. Já no Tortugas temos um local cheio de pessoas, cheirinho de fritura e algumas lanchas para você alugar. É muito legal quando a água bate no restaurante que tem ali beira mar. No Tortugas também temos uma favela de pessoas ricas, um morro de casas bonitinhas e caras.
Mais afastado, lá no hotel Jequeti, temos a praia do Pernambuco, praia essa que vem água dos dois lados e no meio fica uma areia feia. Você pode ficar por ali, mas uma boa parte dos seguranças do hotel Jequiti te olham com uma cara achando que você está ali para assaltar o hotel do Silvio Santos, o amigo do Temer…
Se você quer gravar vídeos, o Guarujá não é o melhor lugar pois as praias são lotadas e cheias de jovens marrentos que ficam lhe olhando de dentro dos seus carros importados. O Guarujá tem lugares muito simpáticos mas dependendo de onde você for, pode encontrar lugares muito estranhos e perigosos.

 

Peruíbe perto do Aquário municipal

Eu pensava que Peruibe só tinha mato mas me enganei, o lugar tem uma cidadezinha simples mas com vários locais pacatos e simpáticos. As praias são menos lotadas porem com pouca proteção contra sol e chuva, não tem tantos quiosques como Itanhaem. Da rodoviária até a praia, deve-se descer e andar um pouco pela rua que tem a feira e o bombeiro. As revistas ufológicas relatam alguns acontecimentos tidos como ufológicos no local mas que no fim acaba-se descobrindo que eram fenômenos meteorológicos.
O que tem muito no céu de Peruibe  são aquelas esteiras de condensação que os outros chamam de
chemical trail, as noites são sossegadas  e estreladas, é aquele tipo de lugar que dá vontade de dormir de janela aberta.

 

Saindo de Santos e indo para o Guarujá

Sair de Santo para o Guarujá usando a balsa é uma experiencia exótica, em Santos tem um local chamado ponta da praia, ali temos um portinho que uma hora está calmo e depois literalmente surgem vários carros vindos do mar entrando no local, eles surgem da balsa. Se você for pedestre, tem a balsa de pedestres também, elas parecem barquinhos de Iemanaja, se você entra em uma delas para atravessar as cidades, a sensação que você tem é que está sentando no pudim ou em uma jaca, ou até mesmo mergulhando em uma gelatina, o barco faz o maior esforço com os motores mas parece que é inútil, é uma coisa estranha. O medo que temos é o de ser atropelado por um navio e aí aquela água suja entrar na sua boca e você de quebra ter uma perna mordida por algum tubarão.
Ao chegarmos no Guarujá caímos numa espécie de terminal de ônibus com algumas lojinhas, é uma experiencia gostosa fazer a travessia no final da tarde, dá uma melancolia gostosa.

 

Se você gostou das nossas traquinagens, tem fotos de algumas delas no nosso Instagram:

 


http://www.javanunes.com/turismo-da-zoeira/