Os Estados Unidos estão ficando doidos e decadentes

Os Estados Unidos vendo o fim da sua hegemonia economico-militar estão desesperados tentando correr atrás do prejuízo, para isso a sua maior prioridade é demonizar os concorrentes mais fortes e colocar os países “auxiliares” como guarda-costas de seus planos através da ameaça de que se não for cumprida as suas determinações, sanções contra as suas frágeis economias serão aplicadas.

O país norte americano vem em várias frentes pelo mundo inteiro adotando medidas para frear o sucesso natural de seus concorrentes, um exemplo disso é a campanha de boicote empreendida ao Nord Stream 2, gasoduto que sai da Rússia via mar para a Alemanha, o que consolidaria uma boa relação entre Rússia e a União Europeia colaborando para que a UE se aproximasse mais de Putin do que do governo americano.

Segundo informação publicada no site Die Welt, autoridades americanas, via vídeo conferencia, advertiram a autoridades alemãs que as consequências de adesão ao gasoduto não seriam boas. Segundo a publicação no site, as tais autoridades americanas deixaram bem claro, ainda que em tom amigável , que querem impedir a conclusão do gasoduto.
Na desculpa de seguirem a sua “lei” de defesa e segurança, os norte-americanos forçaram a empresa suíça Allseas a sair do projeto em 2019, a empresa deixou o projeto inacabado e a Rússia decidiu tocá-lo por conta própria.

Segundo o site 360, os Estados Unidos teriam mandado fechar o consulado da China em poucas horas no dia 22/07/2020, um processo que em condições normais levaria meses. A China usando o principio de reciprocidade, princípio esse que o Brasil não segue mais, mandou fechar o consulado americano em Chengdu. Segundo o site, Trump teria dito que poderia fechar mais consulados da China.

O país norte-americano vem empreendendo também uma política bem agressiva contra a Venezuela na desculpa de querer um regime “democrático” na região enquanto apoia o governo não democrático da Arábia Saudita. O motivo dos EUA querem tanto o controle da Venezuela não é o que acontece lá em dermos de falta ou não de democracia mas sim o potencial enorme de petróleo e ouro, relativamente perto de seu território se formos comparar com o oriente médio.
Segundo o site G1, em agosto de 2019, o almirante Craig Faller, comandante do Comando Sul dos Estados Unidos teria dito que a marinha norte-americana estaria pronta para fazer o que for preciso na Venezuela. Ou seja, a diplomacia sumiu na Casa Branca.

Veja, os Estados Unidos estão tão apavorados que querem vender a qualquer custo os seus caças F-35, cheios de defeitos e com 873 falhas de software. O principal alvo dessas vendas era Turquia, que não boba nem nada, decidiu comprar aviões russos, causando forte desagrado à Casa Branca. Não é por menos o desespero ianque, afinal os EUA gastaram 428 bilhões do bolso dos seus contribuintes para no fim criar uma aeronave cheia de defeitos. É preciso recuperar o prejuízo, quem sabe se no fim eles não vão querer enfiar essa sucata no Brasil, não é mesmo?

Quanto Síria, os Estados Unidos querem espalhar a democracia naquele lugar apenas? É muita ingenuidade acreditar que a nação centro do capitalismo mundial está gastando recursos apenas para pregar a boa ação na região. O objeto americano naquela área e construir um duto de petróleo/gás que levaria combustível obtido do Iraque e região para o mar mediterrâneo , evitando assim, ter que contornar todo continente Africano para trazer petróleo ao país, por isso o interesse violento na Venezuela, afinal de contas, com tanto petróleo no seu “quintal” os americanos dão a volta ao mundo para consegui-lo e gastam milhões tentando desestabilizar a região da Síria, o que vem se tornando um desperdício afinal de contas a Rússia anda ajudando o governo oficial daquela localidade a se manter no poder.

Os norte-americanos não satisfeitos com as sabotagens que empreendem no mundo todo, agora dão seguimento ao seu programa de ajudar Taiwan comprar armas para provocar a China. O programa de ajuda contaria com
2 bilhões de dólares já em 2019 .

Em resumo podemos dizer que os norte-americanos estão desesperados tomando medidas excepcionais para não perderem o título de maior potência ‘policial’ do mundo e para isso lançam mão do seu poder de imprensa , militar e econômico decadente para “cair atirando”.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *