Geopolítica, o que as prostitutas não lhe contam

Todos os países acabam buscando os seus interesses, uns de forma passiva e outros de forma ativa, nesse ultimo quadro encontramos hoje em 2020 os Estados Unidos e a China, embora muitas pessoas queiram igualar essas duas nações em sua maneira de influenciar o mundo, eu diria que as coisas não são bem assim.

Vice President Mike Pence calls off Florida appearances | Blogs

Os Estados Unidos são imperialistas, a China atual não.

Mas o que é ser um pais imperialista? Ser um país imperialista é ser um país que impõe a sua zona de influência em “negociações” com outros onde só ele é que tem a maior vantagem no resultado final das suas “negociações”, “negociações” essas impostas por sanções comerciais, militares ou utilização da exploração de vulnerabilidades pessoais de autoridades jurídicas e políticas através de dossiês elaborados por órgãos de inteligencia.

Em uma “negociação” com um país imperialista é explicita a nação que sai ganhando e que sai perdendo. A nação que sai perdendo na “negociação” imagina ter feito um bom negócio afinal ela se dá por satisfeita em não despertar a irá da outra parte, nações periféricas sonham em serem iguais aos seus “parceiros” comerciais mais desenvolvidos, então quando uma nação assim têm a possibilidade de entrar num acordo com um país mais rico, para ela é sinônimo de começar a ser igual a esse país mais rico.

Vou ser amigo do mais rico para pensarem que eu sou rico também, além disso, o que é mais rico além de ser meu amigo, me protegerá… É com esse pensamento equivocado que muitos países periféricos trabalham: ser amigo do mais forte e perigoso para que ele não se volte contra mim.

Países imperialistas ganham dinheiro com guerras por comódites “roubadas” de outros países militarmente insignificantes. Se o país se negar a fornecer o que lhes falta, tudo de ruim será criado artificialmente contra o pais desobediente de tal forma que o seu povo se revolte e escolha um mandatário mais dócil aos interesses das nações imperialistas, com a escolha de um governante mais manso, os ataques explícitos sessam-se assim dando um ar provisório de melhoria porem outros problemas sociais vão ficando mais evidentes com o passar do tempo: pessoas morando nas ruas, salário com poder de compra reduzido , desemprego, precarização de públicos e privados, crescimento da especulação financeira, redução do número de industrias, parque tecnológico inexistente ou totalmente dependente de outras nações, precarização das forças militares, sistema de saúde entrando em estado de falência, desigualdade social ampliada junto com a miséria.

Resumindo, países imperialistas acham-se no direito de impor a todos os outros países, de perto e de bem longe do seu território, de quem eles devem comprar e pra quem eles devem vender, se você não segue isso, eles deixam claro que você terá consequências ruins que geralmente são embargos, desestabilização política, isolamento eletrônico financeiro e até mesmo uma guerra quente, é por isso que muitas nações fracas acham um bom negócio se portar de forma subserviente a países assim.

E por que a China não é imperialista?
A China busca os seus interesses de outra forma dos países imperialistas, a filosofia antiga de mundo deles baseada entre outras coisas no tauismo, faz com que a visão de mundo seja diferente daquele modelo onde só eu ganho e todo mundo perde, a visão chinesa é que eles podem ganhar sim mas você também pode ganhar com o ganho deles, não interessando o que cada território que não é deles deixa de fazer ou não. A China tem uma postura de ser mais reativa do que ativa em termos de conflitos externos. Muitas pessoas acostumadas com o “normal” ocidental criticam o perfil político da China afirmando que “aquilo lá é uma ditadura” e que por isso não teria mérito algum. O que essas pessoas não sabem é que por milhares de anos a China teve um sistema de dinástico e que na verdade, o governo atual para eles é uma forma de dinastia escolhida pelo céu e isso para maioria deles é normal, é cultural e pronto! Não é qualquer maluco despreparado que chega ao poder na China como ocorre em algumas “democracias”, existe revisamento de pessoas e quem sobe sempre tem um histórico, uma preparação, um time de pessoas por trás. O estado é forte e controla o sistema financeiro para que ele não faça as suas estripulias típicas de um país liberal, fale o que falarem, esse sistema está indo bem. O talento da China é fazer comércio, não guerras, haja vista a surra injusta que levou do Japão nos conflitos a décadas atrás.

No momento atual , 2020, vivemos um cenário tenso mundial sobre risco de entrarmos numa guerra quente , o que influência de várias maneiras todos os outros países do mundo, nada está isolado mais. A tensão mundial se deve ao fato dos Estados Unidos estarem se dando mal no próprio sistema econômico que antes preconizava. Para se defender do seu colapso e da ameaça do estouro da sua bolha financeira, eles investem no uso da força: ameaça de sansões e retalhações militares até mesmo contra outros países imperialistas da Europa, demonização de países que são mais competitivos, fim dos rigores da diplomacia e ataques diretos a todo mundo que discorde de sua forma de ser.

Os Estados Unidos morrem de medo de que o dolar, controlado por eles, caia no ostracismo total como moeda de troca, afinal o dinheiro que eles imprimem só tem valor porque o mundo todo o usa como moeda de troca, não é à toa que países como Rússia e China andam comprando ouro aos montes para se livrar do papel podre americano que já não tem lastro a muito tempo, além disso, a qualquer momento os norte americanos podem desligar o seu sistema eletrônico financeiro mundial(SWIFT) para países que os desagradam como Rússia, China, Irã, Venezuela e outros que não sigam as regras comerciais que eles impõem.

O imperialismo também usa os meios de comunicação que ele controla para você ver o mundo exatamente como eles querem que você o veja: Filmes que você consome de forma doentia de Hollywood sempre procuram mostrar os Estados Unidos como um lugar lindo, cheio de arranha-céus onde impera a vontade popular resultante da democracia , nos filmes os americanos são colocados literalmente como os salvadores do planeta contra ameaças aliens e celestes, sempre eles, quando na verdade é o contrário, os americanos com as suas provocações e o encobrimento dos fatos históricos estão colocando o mundo à beira de um novo conflito. Veja o que filmes adorados mundialmente como Rambo fazem: mostram histórias de americanos invadindo lugares e os colocando como mocinhos escondendo o outro lado da moeda. E o pior, as grandes empresas americanas de comunicação acabam controlando e comprando as nossas empresas e no fim acabam vendendo um ideal de mundo pintado por eles. Você não vai ver na mídia controlada por eles que um monte de grupos terroristas que eles dizem combater foram criados por eles mesmos para desestabilizarem outros países. Você não vai ver um meio de comunicação deles questionando fortemente a lógica financista e trabalhista deles mesmos. A mídia deles que controla a nossa, vende os outros países que não são subserviente ao poder anglo americano , como países agressores que ficam 24 horas planejando o colapso do mundo todo.

O presidente Trump não é sozinho o grande culpado pelo senário mundial degradante em que vivemos, o presidente americano é cercado por pessoas com inúmeros interesses nefastos, inclusive temos em volta dele mulheres e homens que querem que inicie logo uma guerra para o mercado de armas deles aqueça, é claro, tudo sempre com a desculpa do amor à pátria, afinal ninguém é contrário a isso e também à desculpa esfarrapada de levar à democracia e a modernidade ao mundo(O destino manifesto) através da força bruta. Na cabeça dos norte americanos você só tem que comprar deles, na mão deles e com os preços deles. Simples assim. O livre mercado só serve quando o mercado deles é mais competitivo do que os outros, quando não é, aí não pode ser livre.

Com a crise se agravando dentro território norte americano que gasta trilhões para ameaçar o mundo, a matriz norte americana, precisa sugar todos os recursos das filiais, ou seja, os países periféricos que não reagem a nada contra os seus desmandos. Enfia-se dinheiro num país periférico, cria-se mais dominância nele adquirindo suas empresas concorrentes, favores políticos, jurídicos, terras, conhecimento especializado e transferindo o controle disso tudo ao exterior para os países e empresas do centro financeiro do poder mundial.

E como esses países imperialistas infiltram-se entre nós?
Pela cultura vendida de que eles são poderosos, honestos, bondosos , superiores a nós e que você se unindo a eles ficará igual e também pelo poder financeiro dos seus órgãos de inteligência que controlam grande parte dos nossos meios eletrônicos, esses órgãos geralmente coordenados por embaixadas em conjunto com militares, fazem relatórios de tudo que possa ser utilizado contra nós mesmos em um momento adequado: brechas nas leis, vida sexual questionável de autoridades políticas e judiciária, crimes financeiros de empresas e pessoas físicas, quando nada disso é suficiente, disvirtua-se a opinião pública através do controle dos meios de comunicação cujo os donos encontra-se comprometidos em seus relatórios, usa-se igrejas e ONGs envolvidas em lavagem de dinheiro para executar ações específicas no controle de opinião pública, quando essas não têm mais serventia, o próprio poder que as ajudou pode abandoná-las ou se virar contra elas num futuro próximo.

Por exemplo: uma embaixada qualquer através de interceptação de conteúdo de e-mails sediados no país que ela representa, descobre que um determinado juiz ou político, que esteja causando dificuldades aos interesses de sua nação à obtenção de petróleo barato, mantém nas suas mensagens um acervo impressionante de fotos e vídeos de pedofilia, a tal embaixada irá recolher tudo, fabricar provas e mais provas e depois irá entrar em contato com a tal pessoa pedindo para que ela pare de atrapalhar na obtenção de petróleo barato, se não, todo aquele material será denunciado em todos os meios de comunicação já controlados por seus asseclas. Então tudo é negociado amigavelmente e essas autoridades mudam de comportamento de uma hora para outra tomando atitudes totalmente contrárias ao que fazia.

O imperialismo usa também os valores de uma sociedade contra ela mesma se ela estiver rebelde aos seus interesses: se por exemplo, uma nação onde as pessoas são racistas e que esteja competindo forte com as empresas imperialistas por conta da ajuda do seu governo, os serviços de inteligência vão lá e exploram o tema racismo incentivando racistas brigarem com não racistas até o governo ficar insustentável e ser removido, isso se faz através de campanha, ONGs e gente que topa tudo por dinheiro. Uma nação dividida é mais fraca e tem muitos problemas para se preocupar ao invés de tomar posse do seu lugar mundial. É por isso que muitos movimentos identitários são criados justamente para usar uma causa que realmente é legítima, para criar mais ódio em outra ala da sociedade que irá rivalizá-la. Muito desses movimentos nem sonham que estão sendo manipulados através de ajuda financeira. É tudo baseado no “divide e impera”. É por isso que cada movimento que chama as pessoas para se manifestarem na rua contando com vários recursos financeiros , de mídia e religioso deve ser observado com atenção, ali dentro pode ter ajuda de órgãos do exterior com determinados fins.

Por tanto, não ache que o que acontece no seu país é algo isolado. Não ache que o que você percebe na sua cidade ocorre sem ter relação alguma com algum local do mundo. Olhe de forma crítica aquelas notícias repetidas e sedutoras que saem nos meios de comunicação e que tentam forjar um traçado comportamental para você, que emoção e ideia essas notícias lhe causam?
Qual o interesse dos donos desses meios de comunicação? Aquilo que é mais noticiado tem qual implicância para as nações que dominam o mundo ? Quem ganharia com tudo o que dizem ser verdade? Aquilo que eles noticiam e mandam você fazer, eles fazem entre os superiores deles?
E o mais importante: note o que tais meios de comunicação evitam falar, esses meios de comunicação são mais poderosos pelo que deixam de noticiar do que pelo o que eles noticiam…

Você realmente já parou para se perguntar porque a maioria dos países com fartos recursos naturais são tão miseráveis? Pois é…

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *